20141022

diário de uma viagem de honra, primeiro dia, 1



viajo para bh para assistir à estreia do CIAO MIAO sozinho
o terminal 4 é triste, parece aeroporto de cidade do interior (cidade grande do interior)
as empadas terríveis me custam 7 reais cada
o trânsito foi muito bom e o transporte público não estava cheio
promessas de um futuro farto

20141008

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 23



ACABOU
(às vezes é preciso acelerar os processos para percebermos as diferenças, como o canto das baleias; reúna as horas passadas, veja a cena amorosa.)

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 22


QUASE

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 21


RETA FINAL

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 20


OUTRO AINDA

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 19


OUTRO

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 18


ESSE FOI DIFÍCIL

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 17


TOMEI CAFÉ AGORA VAI

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 16


OUTRO

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 15


+ 1 JA FORAM 15

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 14


BOM DIA

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 13


TA FICANDO BOM

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 12


JA FOI METADE

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 11


+1

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 10


LESMINHA CORUJAO DA MONTAGEM

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 9


AGORA PEGUEI RITMO

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 8


ESSE FOI

UMA DIÁRIA DA LESMINHA MONTADORA: HORA 7


ESSE FOI TAMBEM

20141006

Mais uma

Entre Salvador e Ilhéus, o ônibus parou em um monte de cidadezinhas fora da rota turística da Bahia. Uma mais bonitinha que a outra, mas a mais bonitinha, com certeza, foi aquela cidade cujo nome não descobri, em que todos os postes tiveram as lâmpadas cobertas com balões de seda (festa de São Pedro, disse alguém no ônibus). Tentei tirar uma foto melhor, mas o celular não me deixou.
 A gente parou na frente da agência da empresa de viagens, não lembro o nome, do lado de uma casa azul-e-branca com cara de delegacia (mais tarde, alguém diria que era isso, mesmo, uma delegacia). Um monte de gente embarcou ali, mas teve uma mulher que não embarcou.
 Eu vi ela primeiro dentro da agência, vi ela com duas crianças, meio assustada, e então um homem chegou, segurou o braço dela e foi falar com funcionários da agência. Eu achei que tinha visto errado, achei que ele só tinha passado por ela, achei que tava tudo bem.
 Não tava.
 Enquanto o tal homem falava com os funcionários, a mulher saiu de dentro do prédio com as crianças, fez um círculo artificialmente grande, contornando o sujeito. Ia entrando no ônibus quando ele percebeu (talvez estivesse bêbado), correu pra cima dela, puxou. Honestamente, não sei dizer se ele bateu nela, mas foi uma agressão, sem dúvida nenhuma. A mulher querendo fugir com as crianças, imagina só o que não deve ter levado ela a isso, todo mundo no ônibus criticando o cara, defendendo ela, mas ele lá, impedindo ela de entrar e ninguém fazendo nada. Eu não fazendo nada. Algumas pessoas riam, todo mundo assistia como se fosse uma novela.
 As crianças choravam e o cara tinha um facão. Ele não ~usou~ o facão, mas um cara anda por aí, impedindo sua mulher de fugir com duas crianças no primeiro ônibus que aparece (imagino que sem nem ter pra onde ir), com uma peixeira na cintura, e você faz o quê? Fiquei no ônibus, olhando e não fiz nada. Lembrei das minhas outras inércias, achei que devia ir lá, mas não fui. Fiquei assistindo, como se fosse uma novela.
 No fim, o sujeito dominou a mulher, forçou-lhe um beijo, manteve as crianças. O motorista deu a partida e o ônibus foi embora. A mulher ficou lá pra aguentar as consequências da fuga mal sucedida; só mais uma mulher em mais uma cidadezinha linda fora das rotas turísticas.
Como se fosse uma novela.


THERE'S NO LIMIT TO WHAT CAN BE ACHIEVED IN A VERY SMALL TIME FRAME -
I AM POSITIVELY CERTAIN THAT THIS MAY BE A LITTLE BIT TRUE THOUGH IT'S ALSO VERY POSSIBLE THAT IT ISN'T


20140930

anúncio

Caros,


venho publicamente responder a certas insinuações;
insinuações de que eu ando (cito:) "tramando algo".
não estou.
adoraria que fosse o caso, que tivesse um golpe nas mangas, um projeto desembocador de trombas prestes a surgir, mas não é o caso.
ademais, peço perdão pela ausência e espero remediá-la em breve.

att.